Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

5 de agosto de 2021

São Paulo isenta impostos sobre nove tipos de medicamentos

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo autorizou nesta terça-feira (03/08) a isenção de ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre, ao menos, nove medicamentos destinados ao tratamento da Aids, AME (atrofia muscular espinhal), esclerose múltipla, hemofilia e outras doenças genéticas.

A isenção do tributo nos remédios diminui o custo final do medicamento, possibilitando ao paciente uma economia em prol da saúde. Para tratamento da atrofia muscular espinhal, a Assembleia paulista já isentou de ICMS os medicamentos Spiranza e Zolgensma, que tiveram redução de até 18% do valor. Com a proposta aprovada hoje, o medicamento Risdiplam 0,75 mg/mL também será isento. Atualmente, ele é vendido por R$ 42 mil, mais impostos.

“A isenção de impostos sobre medicamentos específicos é uma luta de praticamente todos os parlamentares e uma vitória das famílias que tanto precisam. A saúde é o bem mais precioso que temos e por isso temos que cuidar bem dela”, disse o presidente da Assembleia, deputado Carlão Pignatari.

O deputado Vinicius Camarinha (PSB), líder do governo no Parlamento, destacou a necessidade de aprimorar a legislação e enfatizou a importância da Alesp nessa questão. “A reforma administrativa necessita de adequações, considerando a grande complexidade das questões tributárias do nosso País e Estado. Estamos avançando nas melhorias necessárias, estamos adequando, e não é a primeira vez. Agora estamos avançando nas adequações de medicamentos, colocando as coisas em ordem”, disse Camarinha.

A deputada Janaina Paschoal (PSL) enfatizou que a criação e aprovação dos Projetos de Decreto Legislativo são resultados de esforços dos deputados e deputadas que compõem o Legislativo paulista. “Foram conquistados pela Casa, quando o Projeto de Lei 529/2020 (que vigora no Estado por meio da Lei 17.293/2020) foi aprovado com o compromisso que não haveria impacto na tributação de medicamentos e alimentos. Muitos deputados lutaram e esses Projetos de Decreto Legislativo vão ter impacto direto no valor dos medicamentos”, afirmou.

A medida segue agora para promulgação para passar a vigorar no Estado. A expectativa é que isso ocorra nos próximos dias.

Fonte: Panorama Farmacêutico

Fale conosco

Mensagem