Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

6 de dezembro de 2017

Venda de medicamentos no Brasil cresce 4,9% em um ano

De acordo com pesquisa, vendas do mercado farmacêutico têm aumento significativo em um ano mesmo com a alta dos preços

A venda de medicamentos no Brasil aumentou 4,9% no período de setembro de 2016 a agosto de 2017, comparada ao mesmo intervalo do ano anterior. Os dados foram coletados pelo Quintiles IMS e divulgados no mês passado pela Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan).

Em termos de faturamento, o crescimento nesse mesmo período chegou a atingir os 13,5%. Em 2016, a Interfarma registrou um aumento de vendas de 13,1% no mercado de medicamentos, somando R$ 85,35 milhões faturados.

Deste montante, cerca de 56,9% ficam a cargo das dez maiores empresas do mercado varejista de medicamentos. É importante esclarecer que toda essa movimentação acontece, ainda, sem a consolidação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos.

A tendência é que a partir da implantação do SNCM, o setor possa crescer de forma mais organizada e respaldado por um sistema de vigilância bem estruturado. A rastreabilidade de medicamentos, por exemplo, é um dos fatores que tende a garantir maior segurança em todo o processo que envolve o comércio dos medicamentos.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ano de 2016 marcou um recorde: a taxa de aumento no preço dos medicamentos foi a maior desde o ano 2000. Segundo a pesquisa, o aumento no preço médio dos medicamentos foi de 12,5%. O preço dos medicamentos, inclusive, subiu acima da taxa da inflação – que fechou em 6,29%

Aliado à venda de medicamentos, que mesmo com a alta dos preços apresentou aumento, a “inflação” na área da saúde foi motivada também pelo reajuste dos planos de saúde, que ficaram 13,55% mais caros.

Fale conosco

Mensagem