Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

18 de abril de 2018

Segundo estudo, cidadão gasta mais do que o Governo com a compra de medicamentos

A indústria já está se preparando para o que vem pela frente. O reajuste no preço dos medicamentos, que passa a valer a partir de 1º de abril, promete mudar o panorama do mercado farmacêutico.

Um estudo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostrou que o cidadão gasta mais do que o Governo com a compra de medicamentos. De acordo com o relatório, o gasto familiar é 35,9% maior.

No entanto, surgem boas opções para os pacientes no mercado. Uma série de programas vêm para facilitar a pesquisa de preços e a compra de medicamentos.

Novas alternativas para a compra de medicamentos

Segundo o Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade, o preço cobrado pelo mesmo medicamento pode sair até 81% mais barato de loja para loja.

De acordo com especialistas, serviços que facilitam a comparação de preços são essenciais.  Mediante uma fase de reajuste, servem para amenizar a elevação dos valores ao promoverem uma consulta mais rápida.

O MEDiD, desenvolvido pela R&B – Rastreabilidade Brasil, configura uma dessas novas soluções para identificar os medicamentos de forma segura.

A consulta da procedência do medicamento pode ser feita em tempo real a partir da câmera do celular. Basta posicionar o código de barra ou código datamatrix para começar a análise. Veja mais detalhes aqui.

Todo o cenário movimentado é uma mostra do crescimento do setor. A indústria farmacêutica encara bons prognósticos para o ano.

Após quatro anos de quedas, o mercado farmacêutico voltou a dar sinais no último trimestre de 2017. Acesse nosso blog e confira outras notícias que tratam sobre os sinais de crescimento na indústria.

Fale conosco

Mensagem