Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

5 de novembro de 2019

Polícia encontra em hospital no RS medicamentos contra câncer roubados em MG

Uma ação da Polícia Civil localizou medicamentos roubados no Hospital de Caridade de Ijuí, no Noroeste do Rio Grande do Sul. Segundo a investigação, a carga foi roubada no interior de Minas Gerais e comprada pela instituição para aplicar em pacientes em tratamento contra o câncer.

Dois funcionários do hospital, sendo o coordenador do setor de compras e a diretora financeira, foram presos em flagrante por receptação qualificada. As detenções foram fundamentadas na “falta de zelo para verificação da procedência e acondicionamento”.

O delegado da operação diz que o uso dos medicamentos em pacientes em tratamento contra o câncer poderia colocar a vida dos mesmos em risco, tendo em vista que são medicamentos que precisam ser refrigerados permanentemente em zero grau. Dos três lotes roubados, dois estavam no hospital, informou a polícia.

“São medicamentos que devem ser mantidos refrigerados. No momento em que foi roubado, não temos como saber se eles foram mantidos na qualidade necessária. Agimos rápido para evitar que o medicamento pudesse ser injetado em uma pessoa em tratamento. Poderia se transformar em um veneno”, disse o delegado Tiago Baldin.

A denúncia sobre a compra de medicamentos roubados foi feita à Polícia Civil na quinta-feira (31/10). A ocorrência dizia respeito a um roubo ocorrido em Muriaé, no interior de Minas Gerais, em 17 de outubro. A polícia conseguiu acesso à ocorrência da polícia do outro Estado e confirmou a versão.

Depois, com os números dos lotes em mãos, solicitou ao Judiciário um mandado de busca e apreensão no Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) para verificar no hospital se os lotes eram os que foram roubados. Com a autorização da Justiça, os policiais estiveram no hospital e dizem ter confirmado, pelos números dos lotes, que os medicamentos eram os mesmos retirados da farmacêutica em um roubo cometido por bandidos armados.

Foram apreendidas 100 caixas do medicamento e uma nota fiscal no valor de R$ 609 mil. A carga do caminhão estava avaliada em R$ 1 milhão.

Em nota, o hospital diz que está “envidando todos os esforços no sentido de demostrar a regularidade da operação de compra dos referidos medicamentos” e que “refuta qualquer tipo de insinuação sobre envolvimento da Instituição em roubo de cargas de medicamentos”.

A matéria acima, publicada no Portal Gauchazh, revela o perigo de consumidores efetuarem a compra de medicamentos falsificados. Uma boa saída para o uso correto de medicamentos, é a utilização do aplicativo MEDiD, desenvolvido pela R&B e que fornece diversas funcionalidades para facilitar a vida do paciente. O aplicativo preza pelo consumo consciente de medicamentos, alertando para produtos falsificados com informações sobre sua procedência, além de enaltecer a importância do paciente ter fácil acesso à bula dos medicamentos e receber alertas a respeito do consumo dos mesmos.

Baixe o MEDiD agora mesmo, é gratuito na Apple Store e Google Play.

Fale conosco

Mensagem