Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

26 de fevereiro de 2019

Hospital Alemão Oswaldo Cruz investe em rastreabilidade

Adoção do código GS1 Datamatrix remodelou 100% dos processos de controle de medicamentos, da logística ao leito.

A adoção de um código de barras padrão global criado exclusivamente para a área da saúde foi a aposta do Hospital Alemão Oswaldo Cruz para garantir a segurança do paciente em todo o processo de internação. O GS1 Datamatrix, simbologia bidimensional, permite a codificação de grande quantidade de informações em um espaço muito compacto, usado desde 2008 pela instituição na parte logística, ganhou espaço também na unidade de internação, no preparo e administração de medicamentos.

O processo teve início em 2016 e agora atinge 100% dos processos de controle de medicamentos. “O uso do código de barras nos permite controlar a dose unitária do remédio, seja comprimido ou ampola”, explica Alessandra Pineda do Amaral Gurgel, gerente de Assistência Farmacêutica do hospital. Segundo ela, o mecanismo garante ministrar o medicamento correto ao paciente certo no horário determinado. A iniciativa levou o Hospital Alemão Oswaldo Cruz a receber o Prêmio Automação 2018, na categoria Saúde – Inovação na Segurança do paciente, concedido pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

Outra vantagem da adoção da ferramenta, diz Alessandra, é o fato de permitir a dupla checagem, uma vez que todo o processo é eletrônico, desde a prescrição, a dispensação, o preparo até a administração dos medicamentos. “Com isso, tivemos ganhos assistenciais e operacionais”, garante ela, ao destacar que 86% do volume de atendimento de pacientes internados estão disponíveis nos dispensários eletrônicos, o que permite rastrear todos os atendimentos com acesso restrito e seguro pela equipe responsável.

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz conseguiu também reduzir em 77% o índice de urgência nas medicações nas unidades de internação, uma vez que não necessita mais de deslocamentos para fazer a aplicação. “O medicamento hoje fica disponível de maneira segura para atendimento imediato ao paciente”, conta Alessandra. Além disso, a administração e a checagem no sistema são realizadas em tempo real à beira do leito do paciente, sem que haja nenhum tipo de atraso de registro.

Fonte: DecisionReport

Fale conosco

Mensagem