Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

2 de agosto de 2017

Segundo pesquisa, aplicativos móveis são as medidas mais eficientes no combate à falsificação de medicamentos

Estima-se que o comércio de medicamentos falsificados movimenta até € 200 bilhões or ano. Ao redor do mundo, uma corrente a favor da serialização e da rastreabilidade tem se espalhado no combate à falsificação de remédios.

As legislações da União Europeia (FMD – Falsified Medicine Directive) e dos Estados Unidos (DSCA – Drug Supply Chain Security Act) estabelecem obrigações para os fabricantes e demais participantes da cadeia, iniciando em 2019, buscando coibir o crescente mercado de medicamentos falsificados.

No entanto, de acordo com o relatório, mesmo as práticas de identificação das embalagens através de códigos podem ser suscetíveis a fraudes. As soluções em torno do controle regulatório de medicamentos foram classificadas como “porosas”.

Estando em pleno funcionamento, os mecanismos de serialização coíbem apenas de 35 a 50% dos medicamentos que são falsificados.

A utilização de sistemas integrados de banco de dados e captura de eventos via aplicativos, baseado no uso de smartphones, foram indicados como o caminho mais seguro a ser percorrido em um futuro próximo de acordo com o relatório.

A pesquisa conclui que os executivos estão pouco propensos a investir valores adicionais aos demandados pelas legislações de serialização e rastreabilidade.

Porém, a visão é míope uma vez que os investimentos realizados permitiriam não apenas combater a falsificação e reduzir perdas, mas também criar valor a partir da análise da cadeia de suprimentos e do contato direto com consumidores com pequenos investimentos marginais.

Fale conosco

Mensagem