Contagem regressiva para implementação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos

28 de abril de 2020

Anvisa aprova testes rápidos da Covid-19 em farmácias

Em reunião da Diretoria Colegiada (Dicol) realizada na manhã desta terça-feira, dia 28, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de aprovar, por unanimidade, a comercialização de testes rápidos para detecção da Covid-19 nas farmácias do país. A realização desses testes atende a uma reivindicação antiga do varejo farmacêutico.

A decisão suspende os efeitos do § 2º do art. 69 e do art. 70 da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC nº 44. “Temos no Brasil mais de 80 mil farmácias e muitas delas podem contribuir nesse momento de pandemia, seja testando pacientes, esclarecendo dúvidas ou encaminhando-os ao sistema de saúde. Temos mais de 3 mil salas de serviços farmacêuticos com profissionais aptos a realizar testes rápidos, inclusive os da Covid-19”, afirma Sergio Mena Barreto, CEO da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).

 

Unir esforços

Para Carlos Gouvêa, presidente da  Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial, nessa situação atual de pandemia, é preciso que todos os estabelecimentos de saúde unam esforços para garantir o acesso aos testes rápidos. A estratégia prevê a testagem em massa em duas fases. A primeira envolve 5 mil hospitais, 16 mil laboratórios clínicos e com potencial para mais de 80 mil farmácias. Já a segunda etapa conta com a participação de empresas, associações e entidades, desde que a testagem seja realizada por profissionais habilitados ou com experiência laboratorial.

A CBDL trabalhou com a Anvisa na elaboração da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 348/2020, que estabeleceu regras extraordinárias e temporárias para agilizar a avaliação de novos produtos por meio da priorização da análise de pedidos de registro de testes para detecção do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Até o momento já são 21 testes rápidos aprovados pela Anvisa.

De acordo com o executivo, o teste de detecção de anticorpos indica se a pessoa está no início (que necessita de isolamento), meio ou fim da infecção. “Uma ressalva que de se deve fazer é que a garantia de imunidade ao final da infecção – o chamado passaporte imunológico – ainda necessita de estudos científicos complementares. Deve-se ter o protocolo certo para saber utilizar cada teste de forma correta e no momento ideal para aquele kit específico”, destaca Gouvêa.

Ainda segundo ele, mais de 9 mil farmacêuticos já passaram por treinamentos online pela plataforma Clinicarx. Além disso, uma sugestão é que os profissionais de saúde façam um treinamento pelo Telelab, programa de educação continuada do Ministério da Saúde.

Em função de sua capilaridade, e por ser um ambiente em que a população conhece e confia, a farmácia tem a capacidade de levantar dados importantes e compartilhar os resultados com a base do Ministério da Saúde. “Com isso é possível indicar qual caminho a pandemia está tomando, a velocidade de transmissão e os focos de concentração, a fim de estabelecer ações de saúde pública mais direcionadas”, finaliza.

 

Testes rápidos no Farmácia Popular

Para o Conselho Federal de Farmácia (CFF), as farmácias e os farmacêuticos querem e devem ser envolvidos na testagem rápida e apoio diagnóstico da Covid-19 e de outras doenças.

Em documento encaminhado ao Ministério da Saúde, a entidade sugeriu algumas formas de viabilizar o aproveitamento da força de trabalho dos farmacêuticos, a capilaridade das farmácias e dos laboratórios de análises clínicas no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Uma delas seria a inclusão, no programa Farmácia Popular, do procedimento de realização de teste rápido e da coleta de amostra para a realização dos exames RT-PCR (transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase). As amostras coletadas nas farmácias poderiam ser encaminhadas a laboratórios de análises clínicas parceiros da estratégia governamental.

O CFF lembra ao Ministério da Saúde que o Brasil tem 9.718 laboratórios de análises clínicas sob a responsabilidade técnica de farmacêuticos, a maioria deles localizados nas cidades do interior do país. Esses estabelecimentos estão à disposição para apoiar o Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Fonte: Panorama Farmacêutico

Fale conosco

Mensagem